Um debate precoce

11 de febrero de 2015 06:30 AM

4 0

Diario Noticias / As presidenciais ainda vêm longe.

E, no entanto, os dois maiores partidos do chamado arco da governação andaram nos últimos dias num frenesim de nomes e candidaturas putativas, como se, antes da corrida a Belém, não tivessem eleições legislativas para disputar. Subitamente, Pedro Santana Lopes − o mais agitado de entre os presidenciáveis do PSD tendo imposto o assunto à agenda mediática − deixou−se acometer de uma dose de paciência e saiu de cena até depois do verão. Ou seja, até depois das eleições para a Assembleia da República. Ainda ninguém percebeu as verdadeiras razões desta saída de sendeiro. O próprio também não explicou. Porém, aquilo que parece óbvio é que o provedor da Santa Casa percebeu que não agrada à cúpula do PSD, pelo que, no atual contexto, e se insistisse em forçar a nota, arriscava−se a fragilizar o partido e a ficar com o ónus de ter contribuído para um eventual mau resultado eleitoral nas legislativas. Por outro lado, a decisão de Santana parece ter deixado Marcelo e Rui Rio com o caminho livre para avançarem lá para outubro. O ex−autarca do Porto, solução que parece agradar mais a Passos Coelho porque lhe permitia anular um potencial adversário interno, não recusa essa hipótese. Mas impõe condições tais que, percebe−se, está apenas a querer manter−se em jogo, mais do que a preparar uma verdadeira candidatura. Já o comentador televisivo assiste de camarote ao acomodar do partido ao seu calendário, ou seja, até outubro este é um não assunto. No PS, e com a aparente recusa de António Guterres em ser candidato, as atenções viram−se para António Vitorino. Ao contrário do que se passa à direita, o universo socialista não é tão rico em nomes com potencial ganhador. Tudo parece assim adiado, e ainda bem, para depois das legislativas. Quem ganhar no final de setembro ou no início de outubro, não deixará de tentar aproveitar o embalo para as eleições de janeiro. E, nessa altura, o xadrez ficará seguramente mais claro. Até porque os efeitos das legislativas terão seguramente consequências nas lideranças partidárias.

Fuente: entornointeligente.com

A la página de categoría

Loading...